fbpx


Foto: Douglas Magno

O jornalista Ricardo Boechat em seu programa na Rádio Band News, na ultima quarta-feira (6) demonstrou todo a sua revolta com o fato de o rompimento da barragem de rejeitos da Vale em Brumadinho está caminhando para o esquecimento dos grandes meios de comunicação.

Assista ao vídeo.

“O numero de 333 mortos, em qualquer tragédia, em qualquer lugar do mundo, não pode, 12 dias depois, liquefazer-se como a barragem que os matou. Virar uma lama que vai escorrer, gradualmente, rio abaixo, na memória da população brasileira, por que a ausência dessa cobrança, dessa Indignação permanente, dessa pressão que resulta dessa Indignação é fundamental para que consequências decorram do que ali aconteceu” afirmou o jornalista.

A Defesa Civil de Minas Gerais atualizou, no início da tarde desta quarta-feira (6), o número de vítimas do rompimento da barragem Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Até o momento, 150 corpos já foram resgatados e 182 pessoas seguem desaparecidas. As informações foram dadas pelo tenente coronel Flávio Godinho, coordenador da Defesa Civil Estadual de Minas Gerais.