fbpx


Foto:  Leo Tavares

A Vale informou que a evacuação de cerca de 500 pessoas das comunidades de Socorro, Tabuleiro e Piteiras, em Barão de Cocais (MG), foi feita de forma preventiva, depois que a empresa de consultoria Walm negou a Declaração de Condição de Estabilidade à estrutura.

Os moradores saíram de casa na madrugada desta sexta-feira (8), por volta de 1h, após sirenes serem acionadas.

“Atenção, isso é uma emergência, isso não é um treinamento, é uma situação real de emergência de rompimento de barragem. Abandonem imediatamente suas residências”, soava a sirene.

A Barragem Superior Sul está entre as dez que a Vale pretende eliminar. Ela foi construída pelo método de “alteamento a montante”. Considerado ultrapassado e menos seguro do que outras alternativas existentes, ele é o mesmo usado na construção de barragens que se romperam em Mariana, em novembro de 2015, e em Brumadinho, em 25 de janeiro deste ano.

A falta de informações precisas para população ainda é enorme, e assim como Brumadinho é a que Vale controla as informações sobre a situação.