fbpx

Por R7


Conclusão deve estar em relatório da Comissão da Assembleia de Minas Gerais que investiga o rompimento da barragem de Brumadinho

Um levantamento feito por um deputado membro da comissão da Assembleia Legislativa de Minas Gerais que investiga o rompimento da barragem de Brumadinho aponta que a fiscalização do Governo do Estado sobre as mineradoras era ineficaz. As informações devem estar no relatório que a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) vai apresentar nas próximas semanas.

A investigação feita pelo deputado Noraldino Junior (PSC-MG) revela a fragilidade de um sistema que deveria ajudar na fiscalização das mineradoras.

Segundo as conclusões da CPI, nos últimos 8 anos, mais de 73 mil autos de infração aplicados em mineradoras de Minas Gerais não foram processados pela Semad (Secretaria de Estado de Meio Ambiente). Isso porque o sistema é bem simples e todo manual. Sem recursos, o órgão deixou de fiscalizar e multar as empresas e deixou também de arrecadar.

Matéria na íntegra no R7