Após um dia cansativo de debates, discussões e de visita à comunidade do bairro de São Geraldo, em Belo Horizonte, cada uma destas pessoas agarrou o seu colchonete e foi se acomodando.

São cerca de 30 homens e mulheres, lideranças de movimentos sociais, sindicatos e organizações do Mato Grosso do Sul, Chile, Moçambique, Canadá, Espírito Santo, Peru, Taiwan, Rio de Janeiro, França…

Neste pequeno grupo estão representadas milhares de famílias. Famílias de trabalhadores canadenses em greve. Famílias de camponeses peruanos ameaçados por milícias armadas. Famílias chilenas e sul-matogrossenses impossibilitadas de gozar do direito ao meio ambiente.

Todos lado a lado, dispostos pelo chão da sede da Comissão Pastoral da Terra de Minas Gerais. Para cada colchonete, uma história de luta.

Ao longe, o trem da Vale teima em passar apitando.