No mês de prevenção ao suicídio, a Vale suspendeu os atendimentos psicológicos de parentes de vítimas do rompimento da barragem de Brumadinho. Foram oferecidas somente 8 sessões para pessoas que perderam seus entes para sempre. O número de suicídio e de tentativas aumentou, assim como o uso de antidepressivos e ansiolíticos.

Leia o depoimento de Marcela Rodrigues, que perdeu o pai no crime cometido pela mineradora:

Bom dia amigos e amigas! Ontem postei alguns stories no Instagram e vou compartilhar com vocês aqui.
A Vale tem negado mais sessões de terapia com minha terapeuta e vou aproveitar setembro amarelo pra lembrar do quanto esse crime e a falta de estrutura com os atingidos e atingidas por empresa criminosa tem efeitos devassadores com os que ficam e tem que enfrentar isso. fiquem à vontade para compartilhar e durante todo o mês vou postar algumas coisas. Sexta feira uma amiga que perdeu o noivo no CRIME tentou suicídio. Desde então pensei muito sobre e precisamos levantar e unir o coletivo já que brigar com a CRIMINOSA não tem dado resultados.