fbpx


Caravana se solidariza a trabalhadores em greve no Canadá

O ato de abertura da Caravana Internacional de Minas foi iniciado com uma cerimônia de solidariedade à greve dos trabalhadores da Vale no Canadá, que já dura quase 10 meses. O United Steelworkers (USW) – central sindical de trabalhadores na mineração e siderurgia dos EUA e Canadá – resiste bravamente à pressão da empresa e afirma que não irá ceder na exigência de seus direitos.

Três representantes do USW estão no Brasil para o I Encontro Internacional dos Atingidos pela Vale. Jamie West, Rob Leveille e Judith Marshall participam da caravana de Minas. “Para nós é muito importante receber apoio de pessoas que estão tão longe da gente. Nos faz sentir que estamos fazendo a coisa certa”, afirma Jamie, de 38 anos, que há oito opera um forno da Vale Inco na cidade de Sudbury, a 400 quilômetros de Toronto.

Judith Marshall e Jamie West

Jamie conta que desde o início da greve a Vale faz uma campanha difamatória junto à comunidade local. “Eles dizem abertamente a nossos conterrâneos, a nossos vizinhos, que somos preguiçosos, que o que está por trás de nossa luta é ganância”, conta. “Por incrível que pareça, a propaganda da Vale funciona. Temos recebido pouco apoio de pessoas que estiveram conosco em outras situações de greve. Isto torna ainda mais especial esta solidariedade de nossos companheiros brasileiros”.