fbpx

Articulação Internacional dos Atingidos e Atingidas pela Vale


Mapa pesquisa pandemia e mineração produzido pelo MAM

Novo mapa da pesquisa Mineração e Covid-19 divulgado nesta quarta-feira (09) apresenta crescimentos de mais de 100 casos de pessoas diagnosticadas de coronavírus somente no mês de novembro para o anterior em Barão de Cocais e Santa Bárbara, municípios da região da Serra do Caraça. A pesquisa analisou a situação de 4 municípios da Serra do Caraça durante o período de novembro. Os dados analisados foram extraídos dos boletins epidemiológicos da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais e de levantamento em campo . O estudo é realizado pelo Movimento pela Soberania Popular na Mineração (MAM), coletivo Margarida Alves e Articulação Internacional dos Atingidos e Atingidas pela Vale (AIAAV) com apoio da Misereor. No mês passado, a Articulação já havia publicado uma matéria alertando para o aumento exponencial da doença em municípios com intensa atividade minerária, desde o início da pandemia, em Minas Gerais.

E depois das eleições o total geral de números de Covid-19 voltaram a subir no estado. Segundo boletim epidemiológico publicado hoje pela Secretaria de Estado de Saúde, são cerca de 448 mil diagnosticados em Minas Gerais e mais de 10 mil mortos. Sendo que quando divulgamos a matéria anterior eram cerca de 376 mil casos e 9,2 mil mortos. Ou seja, a pandemia de fato não acabou e vem demonstrando sinais de crescimento que podem ser em decorrência do não cumprimento de medidas da Organização Mundial de Saúde, mas também porque os trabalhadores têm que continuar em serviços essenciais, assim como foi considerado o setor de mineração. A pesquisa exemplifica que a rota da exploração mineral colaborou no processo de disseminação do coronavírus no Estado e que não teve curva em decrescência em praticamente nenhum município onde a atividade minerária não parou.

O que chama a atenção nos dados levantados do mês de novembro é que os quatro municípios da Serra do Caraça pesquisados (Barão de Cocais, Catas Altas, Santa Bárbara e São Gonçalo do Rio Abaixo) tiveram saltos consideráveis de outubro para novembro, como pode ser observado no gráfico mês a mês de Barão de Cocais e de Santa Bárbara, por exemplo.