fbpx


Está no ar a página eletrônica do I Encontro Internacional do Atingidos pela Vale, que ocorre no Rio de Janeiro de 12 a 15 de abril. Mas de onde nasce a vontade de protestar, se articular e lutar contra as ações de uma das empresas mais poderosas do mundo? Nós nos unimos porque conhecemos de perto o que existe para além da propaganda da Vale.

Nesses próximos dias vamos trocar experiências para construírmos coletivamente soluções e estratégias de combate à destruição causada pelo atual modelo de desenvolvimento. É massivo o discurso dessa mineradora sobre sua “sustentabilidade” e  “responsabilidade social”. Mas organizações e movimentos sociais e sindicais, do Brasil e do mundo, têm outra versão da realidade. Entendemos a Vale como um símbolo desse modelo econômico destrutivo.

Durante o Encontro, os atingidos pela Vale vão mostrar que os impactos causados ao meio ambiente e o desrespeito aos direitos das comunidades  por parte dos empreendimentos  têm um custo muito alto, que é o do endividamento público e do aumento de abismos sociais.

Conheça um pouco sobre a história dessa empresa por meio do documentário A Vale é Nossa, lançado em 2007, durante o plebiscito popular pela anulação do leilão de privatização. A produção traz entrevistas com juristas, pesquisadores e ativistas. Além disso, apresenta uma série de propostas sobre  uma “Vale que queremos”.

A Vale é Nossa – Parte 1 de 3.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=4iAvZycbY5w&feature=related]

A Vale é Nossa – Parte 2 de 3.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=hHMaOOGhI7U&feature=related]

A Vale é Nossa – Parte 3 de 3.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=xqPm4npXAZs&feature=related]