Por UFJF


Foto: Maria Otávia Rezende

Diante da profunda tragédia que colocou Mariana em todas as manchetes de jornais é, no mínimo, inesperado encontrar frases do tipo “Volta Samarco” penduradas nas fachadas de alguns comércios. As mensagens dão uma ideia do poder exercido pela empresa na vida dos moradores – a paralisação das operações do Complexo do Germano não só fechou milhares de postos de trabalho como transformou a vida da cidade.

“As mineradoras estão sempre buscando construir sua legitimidade nos territórios, tanto com o Estado quanto com a população. Existe um processo de ‘gerenciamento de risco social’”, ou seja, para elas, o apoio dessas comunidades é essencial para sua imagem e manutenção dos investimentos.

A afirmação é do professor do Departamento de Engenharia de Produção e Mecânica da UFJF Bruno Milanez. De acordo com seus trabalhos junto ao grupo de pesquisa Política, Economia, Mineração, Ambiente e Sociedade (PoEMAS), o vínculo entre a empresa e os moradores é histórico e vai muito além do salário no fim do mês.

Matéria completa: “Volta Samarco”