Uma ação promovida por fotógrafos e ativistas chamou atenção no centro de Belo Horizonte, na noite deste domingo (24) em razão dos 2 anos do crime da Vale em Brumadinho. Em prédios foram projetadas imagens  que denunciavam a atuação perversa da Vale S.A e alertas sobre os impactos do modelo minerário para o meio ambiente e a vida das pessoas.

A projeção,de autoria de Guto do Movimento pelas Serras e Águas de Minas (MovSAM), aconteceu na praça Raul Soares. A logomarca da campanha Rompendo a Máscara e as frases da campanha #JaneiroMarrom foram projetadas.

A campanha Rompendo a Máscara tem o objetivo de expor a realidade dos impactos do grupo minerário (Vale/Samarco/BHP Billiton) em Minas Gerais. A ação é realizada pelas Brigadas Populares em parceria com a Articulação Internacional dos Atingidos e Atingidas pela Vale (AIAAV) e apoio da Misereor.

Data: 24/01/2021
Local: Praça Raul Soares - Belo Horizonte (MG)
Créditos: Felipe Lessa, Guto e Fernando Oelze Pinto